Sim, é possível e já está sendo feito, agora em larga escala, no Rio de Janeiro.

Um dos processos de geração de energia a partir do lixo é a metanização por compostagem anaeróbia. Na realidade, trata-se de um processo simples de compostagem, onde o lixo é colocado em digestores, do tamanho aproximado de um container,  por um período de duas a três semanas, em ambiente eletronicamente controlado, no qual ele se degrada, gerando gás metano, que pode ser transformado em energia, e resíduos, que são aproveitados como poderosos fertilizantes. Uma solução simples, que pode ser aplicada com um investimento relativamente baixo, quando se compara o custo-benefício.

A Estação de Transbordo da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) no bairro do Caju, no Rio de Janeiro, inaugurou em 03/12/2018 uma planta piloto, com o investimento inicial de aproximadamente R$11 milhões. A planta espera uma produção mensal de energia de biogás suficiente para abastecer mais de mil casas ou uma frota de aproximadamente mil veículos. A tecnologia utilizada no projeto foi desenvolvida pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com a Methanum Tecnologia Ltda. e a Comlurb, e tem como principal objetivo testar a eficiência de metanização por compostagem anaeróbia e ampliar a escala.

A estação da Comlurb no Caju foi escolhida para ancorar o projeto por receber resíduos sólidos de bairros distintos, com diferentes padrões de consumo e produção de lixo, oferecendo diversidade suficiente para simular as condições de diferentes municípios brasileiros. Além disso, a Comlurb já tem usina de compostagem convencional com digestão aeróbia no local, permitindo a comparação do resultado das duas tecnologias. Investir em novas tecnologias para uma melhor gestão de resíduos é investir em um futuro melhor para todos, e para o meio ambiente!

Leia mais sobre o projeto, neste link.

Open chat
1
Olá!

Vamos iniciar uma conversa?

Clique no ícone abaixo que em instantes nosso atendimento entrará em contato com você.
Powered by