Qual a diferença entre reciclagem e coleta seletiva?

Qual a diferença entre reciclagem e coleta seletiva?

Muitas pessoas desejam realizar melhorias na gestão ambiental de sua empresa, condomínio ou residência, e acabam tendo dúvidas sobre termos que são bastante conhecidos mas que muitas vezes são utilizados de forma errada. Para ajudar a esclarecer esse assunto, tratamos neste pequeno artigo das principais diferenças entre Reciclagem e Coleta Seletiva e a importância de cada um no Plano de Gestão de Resíduos Sólidos de uma organização, seja ele formal ou informal.

Reciclagem

A reciclagem é o processo de transformação dos resíduos sólidos em insumos ou novos produtos. Normalmente o processo de reciclagem envolve a alteração de suas propriedades físicas, físico-químicas ou biológicas, observadas as condições e os padrões estabelecidos pelos órgãos competentes do Sisnama e, se couber, do SNVS e do Suasa.

Diversos materiais podem ser reciclados, entre eles: vidro, tecido, plástico, garrafas pet, sobras de material da indústria, materiais de construção, papelão, jornal, papel branco, pvc, metal, alumínio, flandre, cobre, embalagens compostas, etc. Um vez separados e destinados a uma associação ou ponto de reciclagem, poderão ser organizados e enfardados, e vendidos para serem utilizados como insumo ou matéria prima para outros produtos.

Coleta Seletiva

A coleta seletiva envolve uma etapa posterior à separação de resíduos por tipo – resíduos orgânicos e inorgânicos, secos e úmidos, recicláveis e não recicláveis – na fonte geradora.

Nem todo material é reciclável, entre os materiais não recicláveis estão os compostos por matéria orgânica e/ou que não possuam, atualmente, condições favoráveis para serem reciclados.

Feita a segregação ou separação dos materiais deve-se estabelecer como será feita a sua disposição para a sua destinação final, através da coleta seletiva.

A coleta seletiva pode ser aquela em que o resíduo, devidamente separado, é colocado na porta da residência, estabelecimento comercial ou indústria, para posterior coleta (porta-a-porta) pela prefeitura, por catadores, ou por entrega voluntária a pontos pré-determinados para essa finalidade.

Posteriormente esse material passará por uma triagem, tornando-se então disponível como um outro produto, matéria prima ou insumo, na cadeia produtiva.

É importante entender cada um destes termos e buscar sensibilizar as pessoas ao nosso redor sobre a importância do tratamento dispensado aos resíduos sólidos produzidos no dia-a-dia, quer seja em casa ou em nossas empresas. O Plano de Gestão de Resíduos Sólidos deve prever então atividades relacionadas, desde uma área específica para a triagem dos resíduos sólidos recicláveis, até o transporte deste material até seu destino final.