fbpx

Como fazer gerenciamento de resíduos na sua obra?

Como fazer gerenciamento de resíduos na sua obra?

O Gerenciamento de Resíduos é uma das responsabilidades legais das empresas de construção civil, regulamentada pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente, cujo objetivo é a redução do impacto desta atividade no meio ambiente.

Além disso, esse gerenciamento se mostra como um excelente recurso para reduzir os custos do empreendimento através da reutilização dos materiais que seriam descartados. Uma empresa, independente do ramo, que se preocupa em estar de acordo com as normas ambientais, ganha prestígio dos clientes, parceiros e do meio empresarial que está inserido. O presente artigo tem o intuito de auxiliar as empresas de construção civil com informações acerca do gerenciamento de resíduos em obras.

Classificação dos Resíduos

Uma série de materiais são utilizados no pátio de obras e são gerados diversos tipos de resíduos. Cada um deles possui uma classificação, um tratamento ou forma de reutilização.

O primeiro passo é conhecer essas classificações:

– Classe A:  resíduos reutilizáveis ou recicláveis como agregados, exemplos:
De reformas, construção, demolição ou reparos da pavimentação, inclui-se solos provenientes de terraplanagem; de edificações como componentes cerâmicos (tijolo, azulejo, telhas, placas de revestimento, etc.), argamassa e concreto; da fabricação ou demolição de peças pré-moldadas em concreto, blocos, tubos, meios-fios, feitos nos canteiros de obras.

– Classe B: recicláveis para outros destinos como o papel, vidro, madeira e gesso.

– Classe C: resíduos que ainda não há tecnologia para reciclagem, como a lã de vidro.

– Classe D: resíduos perigosos como tintas, vernizes, óleos e solventes ou material
contaminado, reformas em clínicas radiológicas e objetos que contenham amianto
como telhas.

Tendo conhecimento dessa classificação, a empresa deverá se ocupar com algumas atividades a fim de organizar esse material devidamente reconhecido.

Entre elas estão:

– Quantificar os resíduos e separá-los de acordo com a classificação. A triagem dos resíduos deve ser feita nas áreas de destinação licenciadas, ou de preferência pelo gerador do descarte na sua origem, sempre respeitando as
classificações.
– Verificar o que tem potencial de reaproveitamento ou reciclagem como tábuas e blocos.
– Selecionar o destino final do resíduo conforme a classe.
– Selecionar a empresa de transporte devidamente licenciada e equipada para cada classe de resíduo.
– Planejar a logística desse resíduo: onde e como será acondicionado temporariamente até o recolhimento, e o caminho até esse local.
– Orientar a equipe e delegar responsabilidades.

Esses procedimentos fazem parte do Projeto de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil, resolução 307 de 2002 do CONAMA, e cada novo projeto deve ser encaminhado ao órgão municipal competente> Nos projetos que carecem de licença ambiental o órgão competente também fará parte da análise do PGRCC.

Reaproveitamento ou Reciclagem de Resíduos

Alguns dos materiais a serem descartados no canteiro de obras possuem alto potencial de reaproveitamento: paredes e pisos de construções pré-existentes que podem ser reutilizados em instalações provisórias. Também os os resíduos classe A oriundos do processo de demolição, podem ser usados para preencher valas. Resíduos de classe B como pedaços de metal ou madeira podem ser reaproveitados para fazer placas de sinalização, cercas e portões. Hoje em dia o material de demolição é muito valorizado por arquitetos e marceneiros, que transformam os resíduos em móveis, revestimentos e até mesmo em obras de arte.

Um Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil é uma ferramenta que auxilia a reduzir o desperdício, diminuir o impacto ambiental, além do reconhecimento dos clientes e outras empresas do ramo. Àqueles interessados a Santa Cecília Resíduos possui uma equipe de consultoria especializada no assunto pronta para o atendimento. Saiba mais, entrando em contato com nossa equipe.

 

gestão ambiental